Carlos d’Andréa

Professor do Departamento de Comunicação e do PPGCOM/UFMG

Doutor em Estudos Linguísticos (Poslin/UFMG), mestre em Ciência da Informação (ECI/UFMG) e graduado em Comunicação Social/Jornalismo (UFMG).

Em 2017/2018, é pesquisador visitante no Departamento de Media Studies da Universidade de Amsterdã, na Holanda (bolsa CAPES de Pós-Doutorado no exterior – Processo 88881.119913/2016-01).

Foi vice-coordenador do GT Comunicação e Cibercultura da Compós (2016-2017)

E-mail: carlosfbd@gmail.com
Links
: Currículo Lattes | Academia.edu | Orientações |

Temáticas de interesse: Jornalismo contemporâneo; Redes sociais online / Plataformas Digitais; STS / Teoria Ator-Rede; Métodos digitais de pesquisa; Coleta, processamento e visualização de dados; Esporte e controvérsias

Artigos selecionados (ver relação completa no Academia.edu)

D’ANDRÉA, Carlos. #vergonhabrasil: controvérsias midiatizadas no Twitter durante e após o jogo Brasil 1 x 7 Alemanha. Intercom – Revista Brasileira de Ciências da Comunicação, v.39, n.3, 2016, p.99-114.

D’ANDRÉA, Carlos. Controvérsias midiatizadas no Twitter durante transmissões televisivas ao vivo: a rede “exoesqueleto” na abertura da Copa 2014. Revista Famecos, v.23, n.2, mai-ago. 2016.

D’ANDRÉA, Carlos; ALZAMORA, Geane. ZILLER, Joana. Hashtags as Intermedia Agency Resources before FIFA World Cup 2014 in Brazil. In: RAMBUKKANA, Nathan (org.). Hashtag Publics. The Power and Politics of Discursive Networks. Nova York, Peter Lang, 2015, p.115-125. (Livro à venda na Amazon)

D’ANDRÉA, Carlos; ZILLER, Joana. Violent Scenes in Brazil’s 2013 Protests: The Diversity of Ordinary People’s Narratives. Television & New Media, vol. 17 no. 4, p. 324-334, mai/2016.


Atual projeto de pesquisa:
“Cartografando controvérsias midiatizadas: atravessamentos sociopolíticos nas redes sociais online antes e durante a Copa do Mundo 2018” (2016-2018)

Anterior: “As webTVs em conexões intermidiáticas: redes sociotécnicas na cobertura jornalística de dois eventos programados” (2013/2016). Financiamento: Fapemig, CNPq e PRPq/UFMG